A seleção brasileira feminina de vôlei conseguiu a segunda vitória nos Jogos Olímpicos do Rio. Nesta segunda-feira (08.08), as brasileiras levaram a melhor no clássico sul-americano contra a Argentina por 3 sets a 0 (25/16, 25/19 e 25/11), em 1h10 de jogo, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. O próximo desafio da equipe comandada pelo treinador José Roberto Guimarães será o Japão às 22h35 desta quarta-feira (10.08).

Brasileiras e argentinas estão no grupo A ao lado do Japão, Coréia do Sul, Camarões e Rússia. O grupo B é formado por Estados Unidos, China, Sérvia, Itália, Holanda e Porto Rico. As brasileiras buscam o tricampeonato olímpico.

A oposta Sheilla foi a maior pontuadora do confronto. A jogadora marcou 14 vezes, sendo 13 de ataque e um de saque. Outra boa atuação foi da ponteira Natália, que foi a segunda jogadora a pontuar mais, marcando 10 pontos. Após o duelo desta segunda-feira, a atacante comentou sobre as duas primeiras partidas do Brasil nos Jogos Olímpicos – as vitórias sobre Camarões e Argentina, por 3 sets a 0 – e disse estar satisfeita com a trajetória da equipe na competição.

“Começamos essa Olimpíada em um ritmo onde estamos pegando o embalo aos poucos. Estamos já pensando na Coréia do Sul e no Japão, dois times asiáticos que têm características de defender muito e, por isso, temos que ter paciência. Esse início de competição foi para pegarmos ritmo, referência do ginásio e agora vamos para cima das próximas adversárias e matar um leão por dia”, disse Natália.

Ainda sem entrar em quadra com um desconforto na panturrilha, a central Thaísa busca estar sempre participando, passando apoio moral para o grupo. A jogadora opinou que, a partir de agora, a seleção brasileira terá ainda mais dificuldades. “A partir da quarta-feira vai ser só pauleira. Temos que aumentar ainda mais a concentração para as próximas partidas”, disse Thaísa.

A levantadora Dani Lins, que marcou três pontos de saque nesta segunda-feira, destacou a importância do fundamento. “Estou treinando muito o saque. Esse é o primeiro fundamento que temos que fazer bem feito, já que só depois disso vem um bloqueio, uma defesa, enfim, temos que estar com o saque funcionando bem sempre”, afirmou Dani.

Considerado o cérebro do time, Dani Lins prefere dar outra função ao levantador. “Eu sou o coração do time. Por isso, procuro sempre moderar a equipe, buscando passar paciência quando necessário, ou agitar o time quando for preciso. Além disso, como levantadora, procuro acelerar cada vez mais o jogo, que fica bem mais difícil para o adversário marcar as nossas jogadas”, concluiu a levantadora da seleção brasileira. 

Outros resultados

A segunda-feira teve outros cinco jogos pelo torneio feminino dos Jogos Olímpicos do Rio. Pelo grupo B, a China conseguiu o primeiro resultado positivo na competição ao superar a Itália por 3 sets a 0 (25/21, 25/21 e 25/16). Já a Sérvia passou por Porto Rico também por 3 sets a 0 (29/27, 25/18 e 25/20) e os Estados Unidos levaram a melhor sobre a Holanda por 3 sets a 2 (18/25, 25/18, 21/25, 25/20 e 15/8). 

No grupo B, o Japão venceu Camarões por 3 sets a 0 (25/20, 25/15 e 25/17) e a Rússia superou a Coréia do Sul por 3 sets a 1 (25/23, 23/25, 25/23 e 25/14). 

A seleção brasileira feminina de vôlei tem dois títulos olímpicos (Pequim/2008 e Londres/2012) e duas medalhas de bronze (Atlanta/1996 e Sydney/00).

O JOGO 

O Brasil começou melhor o jogo e fez 4/1. A Argentina cresceu de produção e virou o marcador (5/4). Com um ponto de bloqueio da central Juciely o Brasil abriu dois pontos (7/5). Bem no saque e com volume de jogo, as brasileiras abriram sete pontos (16/9). O ataque do time verde e amarelo foi eficiente e as brasileiras venceram o primeiro set por 25/16. A oposta Sheilla foi a maior pontuadora da parcial com seis pontos. 

A central Fabiana finalizou um longo rally com um ponto de bloqueio e o Brasil fez 3/1 no início do segundo set. Com um erro das argentinas, a equipe do treinador José Roberto Guimarães abriu três pontos (10/7). Bem no bloqueio, as donas da casa fizeram 17/13. Quando o placar estava 21/15 para o Brasil, o técnico da Argentina, Guilhermo Orduna, pediu tempo. O time verde e amarelo seguiu melhor e fechou o segundo set por 25/19.

O Brasil fez os três primeiros pontos do terceiro set. A oposta Sheilla se destacava nos contra-ataques e as brasileiras abriram cinco pontos (11/6). Quando o placar estava 16/12 para o time verde e amarelo o treinador José Roberto Guimarães trocou as ponteiras. Entrou Jaqueline e saiu Fê Garay. A levantadora Dani Lins jogava com velocidade e o Brasil fez 16/10. As brasileiras dominaram a parcial até o final e venceram o set por 25/11 e o jogo por 3 sets a 0. 

EQUIPES:

Brasil – Dani Lins, Sheilla, Fê Garay, Natália, Fabiana e Juciely. Líbero – Léia. 
Entraram – Gabi, Fabíola, Adenízia e Jaqueline 
Técnico – José Roberto Guimarães 

Argentina – .Castiglione, Acosta, Nizetich, Fresco, Lazcano e Sosa Líbero – Tatiana Rizzo
Entraram – Fernandez, Busquets, Boscacci e Martinez 
Técnico – Guillermo Orduno 

GALERIA DE FOTOS:

http://2016.cbv.com.br/midia/galeria-de-imagens/item/25556-rio-de-janeiro-rj-08-08-2016-jogos-olimpicos-brasil-x-argentina.html

Partidas do Brasil na fase classificatória dos Jogos Olímpicos do Rio

06.08 - Brasil 3 x 0 Camarões (25/14, 25/21 e 25/13)
08.08 – Brasil 3 x 0 Argentina (25/16, 25/19 e 25/11)

10.08 - Brasil x Japão às 22h35 
12.08 - Brasil x Coreia do Sul às 22h35 
14.08 - Brasil x Rússia às 22h35

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasil