No Rio de Janeiro (RJ) - 14.08.2016

O melhor duelo dos Jogos Olímpicos fez a multidão alternar momentos de silêncio profundo e gritos em êxtase na tarde deste domingo (14.08). Larissa e Talita se superaram, salvaram match points e venceram de virada as suíças Heidrich e Zumkher por 2 sets a 1 (21/23, 27/25,15/13), em 1h10, na Arena de Vôlei de Praia, em Copacabana.

Classificadas à semifinal, elas encaram agora as alemãs Laura Ludwig e Kira Walkenhorst, campeãs antecipadas do Circuito Mundial 2016. O duelo ocorre na próxima terça-feira (16.08), ainda sem horário definido. Ainda neste domingo, Ágatha e Bárbara Seixas encaram as russas Ukolova e Birlova por outro jogo das quartas de final.

A partida foi marcada por muitas reviravoltas. Larissa e Talita abriam no placar, mas as suíças seguidas vezes empatavam e viraram a partida. A parceria brasileira conseguiu mais aces - 7 contra 3 - e se destacou por errar menos. Cederam 9 pontos, contra 13 oferecidos pelas suíças. O esforço foi tamanho que Talita encerrou o duelo com cãibras nas pernas. 

As duas equipes brasileiras só podem se encontrar em uma eventual disputa por medalhas - na final, pelo ouro, ou na disputa de terceiro lugar. Larissa já possui um bronze, em Londres-2012, com Juliana. Talita tem como melhor resultado um quarto lugar em Pequim-2008, com Renata.

Já sentido cãibras, na saída da quadra, Talita resumiu a emoção da partida e elogiou as suíças, que nunca venceram a parceria brasileira.

"Fomos até o fim brigando por cada bola, buscando cada defesa, não nos entregando nunca. As suíças mostraram que são fortes, fizeram um jogo muito bom. A dificuldade serviu para mostrar que nosso time está muito forte", comentou Talita.

Larissa concordou com a parceira e destacou que a experiência foi fundamental para chegar à vitória.

"Se eu tivesse uma palavra para hoje, seria paciência. Em quadra, eu disse o tempo todo que a gente ia conseguir, e conseguiu. Um jogo difícil como este nos fortalece, que faz a gente ter atenção nos detalhes. A gente sabia que a dificuldade ia aparecer. Ninguém ia ganhar todos os jogos de 2 sets a 0. Mais uma vez, a torcida foi o terceiro jogador. Hoje é dia dos pais, então a gente quer dedicar esta vitória a todos os pais do Brasil", comentou Larissa, acrescentando que este jogo vai ficar entre os mais difíceis que já fez, principalmente por ser no torneio olímpico, mas lembrou também que, ao lado de Juliana, venceu Walsh e May por 2 sets a 1 em 1h40, em partida que entrou para o livro dos recordes por sua duração.

O Jogo
As suíças começaram com dificuldades na virada de bola. Em ace de Talita, as brasileiras já abriram 4 a 1, forçando pedido de tempo adversário. As suíças não desistiram e endureceram a partida, empatando em bom contra-ataque de Zumkher: 9 a 9. Logo em seguida, conseguiram a virada, chegando à parada técnica vencendo por 11 a 10.

As brasileiras chegaram ao empate em uma jogada bastante rara: bloqueio de Larissa, que acabou ficando na rede durante um ataque. Larissa e Talita passaram a errar algumas viradas de bola, deixando as suíças abrirem 14 a 11. Em bom contra-ataque, Larissa recolocou a dupla no jogo, empatando em 16 a 16. No lance seguinte, em ponto de saque, Larissa virou o placar.

As suíças não baixaram a cabeça. Em dois contra-ataques de Zumkher, as europeias abriram 20 a 18. Talita salvou o primeiro em bola de segunda. Heidrich atacou para fora na sequência e as brasileiras igualaram. Pouco depois, Talita salvou mais um set point, mas Larissa largou na rede e, em disputa na rede, Heidrich fechou o set por 23 a 21.

A segunda parcial continuou marcada pelo equilíbrio. Talita entrou em ação com dois importantes bloqueios de Talita: 4 a 1. Assim como no primeiro set, as suíças ‘remaram’ e igualaram em bloqueio de Heidrich. Um ace de Larissa recolocou a dupla na frente: 6 a 5. Em erro de ataque de Zumkher, as brasileiras abriam 11 a 8.

Novamente a Suíça retomou o controle. Bloqueio de Heidrich sobre Talita e 13 a 12 para as europeias no placar. As suíças abriram dois pontos ao vencerem um desafio, mas as brasileiras não desistiram. O jogo ficou tenso, a torcida se calou em Copacabana, mas Talita deixou tudo igual em bloqueio sobre Zumkher: 19 a 19. 

VEJA A GALERIA DE FOTOS DA PARTIDA

Larissa salvou um match point com largada de fundo. No lance seguinte, ponto de saque da capixaba. As suíças se recuperaram, viraram e tiveram vários pontos do jogo. As brasileiras salvaram a classificação em um rally sensacional, após Larissa mergulhar seguidas vezes e marcar de segunda. No lance seguinte, bloqueio de Talita, fim do set em 27 a 25 e partida empatada.

O tie-break começou com Talita mandando um ataque para fora e as suíças abrindo 3 a 1. As brasileiras remaram, reduziram a diferença e igualaram em 5 a 5, após bom saque de Larissa. Viraram em contra-ataque incrível de Larissa, em largada junto da rede. As suíças novamente se reergueram e viraram em contra-ataque de Zumkher. Um erro de ataque das suíças e uma linda largada de Larissa deixaram as brasileiras novamente na frente: 11 a 9. 

As suíças sentiram, erraram mais um ataque, mas não se deram por vencidas. Voltaram para o jogo e ficaram um ponto atrás: 12 a 11. Talita conseguiu uma largada e as brasileiras tiveram o primeiro match point, salvo pelas adversárias. No lance seguinte, Talita fechou em 15 a 13, após uma bomba na diagonal.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro