A seleção brasileira feminina de vôlei terminou em quinto lugar nos Jogos Olímpicos do Rio. Nesta terça-feira (16.08), o Brasil foi superado pela China em uma emocionante partida pelas quartas de final por 3 sets a 2 (15/25, 25/23, 25/22, 22/25 e 15/13), no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. A equipe da treinadora chinesa, Lang Ping, terá como adversário na busca por um lugar na final a Holanda, que superou a Coréia do Sul por 3 sets a 1 (25/19, 25/14, 23/25 e 25/20) na outra semifinal. 

Nesta noite, a chinesa Zhu foi a maior pontuadorda da partida, com 28 acertos. Pelo lado do Brasil, a ponteira Fernanda Garay foi quem mais pontuou, com 24 pontos. A outra ponteira, Natália, marcou 20 vezes

Nitidamente abalado com o resultado, o técnico José Roberto Guimarães tentou explicar o que aconteceu durante a partida.

“Fizemos um primeiro set excepcional, com poucos erros, o saque entrando bem e a relação bloqueio e defesa acontecendo. Depois, no segundo set, a China mudou a recepção, começou a equilibrar mais as ações e começou a virar bola com mais facilidade. Foi quando nós começamos a sofrer um pouco no nosso sistema defensivo”, detalhou Zé Roberto.

Sem fugir da responsabilidade, o treinador brasileiro elogiou o desempenho do adversário na noite de hoje.

“Do nosso lado, não estávamos com o passe muito consistente e, consequentemente, usando pouco as jogadoras de meio, que são um ponto de apoio muito grande no time do Brasil. No quarto set, voltamos a equilibrar as ações de passe, voltamos a jogar com as centrais e, embalado pelo apoio da torcida, conseguimos vencer. No quinto, faltaram alguns detalhes. No contexto geral do jogo, a China foi melhor do que o Brasil”, disse Zé Roberto.

A capitã Fabiana fez questão de destacar as qualidades da seleção brasileira, que defende há quatro ciclos olímpicos.

“Não consigo falar sobre o jogo agora. A única coisa que eu não posso deixar de fazer é exaltar a nossa equipe. Somos uma família, lutamos muito no dia a dia e só quem está dentro de quadra sabe o que é acordar com dor, treinar muito, se dedicar, para chegar aqui e fazer o nosso melhor. Dói muito, mas o sentimento que eu tenho agora é de orgulho. Independentemente de qualquer coisa, nós lutamos até o final”, disse Fabiana.

A central elogiou todas as companheiras de equipe neste momento de tristeza. “Defendo uma por uma porque sei a nossa luta do dia a dia. Vestimos a camisa o tempo inteiro e sempre estivemos aqui de coração. Por ser meu último ano aqui, gostaria muito de sair com uma medalha, mas quero deixar essa mensagem do orgulho que tenho de tudo que vivemos aqui”, concluiu Fabiana.

Chinesas e holandesas disputarão a semifinal na próxima quinta-feira (18.08). Estados Unidos e Sérvia farão a outra partida da fase. Nas quartas de final, as norte americanas superaram as japonesas por 3 sets a 0 (25/16, 25/23 e 25/22) e as sérvias passaram pelas russas também por 3 a 0 (25/9, 25/22 e 25/21).

O JOGO 

O Brasil começou melhor e fez 5/1 no início do primeiro set. Quando o placar estava 7/2 para as brasileiras, a técnica da China, Lang Ping, pediu tempo. Mesmo com a paralização a equipe do treinador José Roberto Guimarães continuou melhor e abriu seis pontos (11/5). A ponteira Fê Garay se destacava e as brasileiras fizeram 18/9. O Brasil foi melhor até o final da parcial e venceu o primeiro set por 25/15. 

A China voltou melhor para o segundo set e fez 3/1. Bem nos contra-ataques, o Brasil virou o marcador (5/3). Se aproveitando dos erros das asiáticas, o time verde e amarelo abriu quatro pontos (10/6). A China cresceu de produção e empatou (11/11). Neste momento, o treinador José Roberto Guimarães pediu tempo. A parada fez bem para as donas da casa que, com um ace da ponteira Natália, voltaram a abrir no placar (14/11). Bem no saque, a China virou o marcador (17/16). O Brasil conseguiu quatro pontos seguidos e voltou a comandar o placar (20/17). A China foi melhor na parte final da parcial e levou a melhor no segundo set por 25/23. 

A China seguiu melhor no início da terceira parcial e fez 4/2. O Brasil cresceu de produção e virou o marcador (6/5). O set ficou disputado ponto a ponto. Com Natália e Fê Garay bem no ataque, o time verde e amarelo abriu dois pontos (13/11). Quando a China empatou o marcador, o treinador José Roberto Guimarães trocou as ponteiras. Entrou Jaqueline e saiu Natália. Com velocidade, a China virou o placar (16/15) e técnico brasileiro pediu tempo. O final da parcial ficou disputado ponto a ponto. Com um ponto de bloqueio, as chinesas abriram dois pontos (19/17). A China segurou a vantagem até o final da parcial e levou a melhor no terceiro set por 25/22. 

O quarto set começou disputado ponto a ponto. Bem no saque, a China abriu dois pontos (7/5). Com velocidade, a China segurou a vantagem no marcador (13/11). A central Fabiana conseguiu um ace e o Brasil empatou o marcador (14/14). Com um ponto de boqueio da central Juciely, o time do treinador José Roberto Guimarães abriu dois pontos (16/14). Numa bola rápida da central Fabiana, a equipe verde e amarelo fez 22/19. As brasileiras seguraram a vantagem até o final e venceram a parcial por 25/22.  

O quinto set começou disputado ponto a ponto. Com um ponto de contra-ataque da ponteira Natália, o Brasil empatou a parcial (4/4). A China abriu dois pontos depois de uma boa sequência de saques da ponteira Liu (9/7). A ponteira Fê Garay empatou a parcial com um ponto de contra-ataque (10/10). A China abriu dois pontos na parte final da parcial e segurou a vantagem até o final vencendo o set por 15/13 e o jogo por 3 sets a 2. 

EQUIPES:

Brasil – Dani Lins, Sheilla, Fê Garay, Natália, Fabiana e Thaisa. Líbero – Léia. 
Entraram – Gabi, Jaqueline, Adenízia e Juciely
Técnico – José Roberto Guimarães 

China –  Yuan, Zhu, Yang, Xu, Hui e Ding.  Líbero – Lin Li 
Entraram – Wei, Zhang, Liu e Yan
Técnico – Lang Ping

GALERIA DE FOTOS:

http://2016.cbv.com.br/midia/galeria-de-imagens/item/25679-rio-de-janeiro-rj---16.08.2016---jogos-olimpicos---brasil-x-china.html

Partidas do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio

06.08 - Brasil 3 x 0 Camarões (25/14, 25/21 e 25/13)
08.08 – Brasil 3 x 0 Argentina (25/16, 25/19 e 25/11)
10.08 – Brasil 3 x 0 Japão (25/18, 25/18 e 25/22) 
12.08 – Brasil 3 x 0 Coreia do Sul (25/17, 25/13 e 27/25)  
14.08 – Brasil 3 x 0 Rússia (25/23, 25/21 e 25/21)

Quartas de final 

16.08 – Brasil 2 x 3 China (25/15, 23/25, 22/25, 25/22 e 13/15)

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro