A fase de quartas de final do torneio masculino de vôlei dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro contou com o principal clássico sul-americano. No final do jogo desta quarta-feira (17.08), melhor para o Brasil que derrotou a Argentina por 3 sets a 1 (25/22, 17/25, 25/20 e 25/23), em 1h45 de jogo, no ginásio do Maracanãzinho. Com a vitória, o time comandado pelo técnico Bernardinho está classificado para a semifinal da competição.

Na próxima fase, a seleção brasileira terá a Rússia como adversário. Os russos venceram o Canadá por 3 sets a 0 (20/15, 25/20 e 25/18). A outra semifinal será entre Estados Unidos e Itália. Os norte-americanos passaram pela Polônia também por 3 a 0 (25/23, 25/22 e 25/20) e os italianos levaram a melhor sobre o Irã pelo mesmo placar, com parciais de 31/29, 25/19 e 25/17.

A rodada de semifinais será na próxima sexta-feira (19.08). Itália e Estados Unidos se enfrentarão às 13h, e o duelo Brasil x Rússia acontecerá às 22h15 – ambos novamente no ginásio do Maracanãzinho, a casa do vôlei nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

O oposto Wallace foi o maior pontuador do confronto, com 24 acertos. Os ponteiros Lipe e Maurício Borges e o central Lucão, com 11, também pontuaram bem pelos brasileiros. Na Argentina, o ponteiro Poglajen foi quem mais marcou, com 14 acertos. 

O levantador Bruninho comemorou a classificação brasileira para as semifinais e ressaltou a força do grupo brasileiro. 

“Foi uma partida difícil e conseguimos reverter um momento complicado depois do segundo set. Estamos jogando diante da nossa torcida e isso é uma oportunidade única. O Maurício entrou muito bem no jogo e o último ponto da partida foi praticamente feito pelo William que conseguiu uma grande defesa. Isso mostra que somos um time. Temos 12 jogadores que podem entrar e ajudar”, disse Bruninho. 

O líbero Serginho fez uma análise do duelo contra a Argentina e também falou sobre o adversário dos brasileiros na semifinal. 

“A Argentina cresceu muito na competição e fez uma boa partida contra a nossa equipe. O jogo quase foi para o tie-break. Estamos jogando ponto a ponto e o grupo está crescendo na competição. Sempre tivemos a confiança alta, mas desperdiçamos muito contra-ataques contra a Itália e os Estados Unidos. Agora já temos que pensar na Rússia, que tem muita tradição e um bloqueio alto. Não vamos poder medir força com eles e vamos ter que jogar bem taticamente contra eles”, explicou Serginho. 

Maior pontuador do confronto, o oposto Wallace, destacou a importância da obediência tática da seleção brasileira na noite de hoje.

“Fiquei feliz porque cumprimos o que foi combinado hoje com a comissão técnica e isso fez a diferença na partida. Nesse momento todos os confrontos são difíceis e nas quartas de final nenhuma equipe é favorita. Tudo poderia acontecer hoje e ainda bem que a vitória veio para o nosso lado. Trabalhamos muito para isso”, concluiu Wallace. 

O JOGO

Depois de um bom saque, a Argentina abriu o placar do jogo no contra-ataque. O Brasil chegou ao ponto de empate em 3/3. Os visitantes voltaram a estar na frente e abriram dois pontos em 6/4. A diferença passou a ser de três em 8/5. No ponto de saque de Bruninho, a seleção brasileira encostou em 9/8. A equipe da casa empatou e, no ace de Lucarelli, virou o placar: 11/10. Os argentinos voltaram a pontuar e fizeram 15/13. No ace de Lipe, o Brasil mais uma vez igualou o placar (16/16). Mais uma vez a Argentina abriu dois (18/16) e a equipe da casa empatou: 18/18. A parcial seguiu disputada ponto a ponto (20/20). Depois de grande saque de Maurício Borges, Lipe pontuou e o Brasil fez 22/20. A equipe ainda marcou o 23º ponto, enquanto o adversário tinha 20. No final, vitória brasileira por 25/22.

O segundo set também começou com equilíbrio, com as equipes empatando em 3/3. No erro do adversário, o Brasil passou a frente no placar. Com dois pontos de contra-ataque de Lima, a Argentina assumiu o comando do jogo: 6/5. Os visitantes seguiram bem e, no ponto de bloqueio, abriram três: 11/8. Também contando com erros do Brasil, a Argentina chegou a 13/8. O marcador apontou 15/9 e Bernardinho pediu tempo. A diferença caiu para 15/11, mas os argentinos voltaram a pontuar e fizeram 18/12. Com ace de Conte, o time visitante chegou a 20/13. Melhor em quadra, a seleção da Argentina venceu o segundo set por 25/17.

Wallace abriu o terceiro set. No bloqueio de Maurício Borges, 2/0. De novo com ele, 3/0. O placar ainda foi a 4/0 e a Argentina pediu tempo. Com Lipe, a equipe brasileira chegou a 6/2. Com Maurício Borges, o Brasil chegou ao dobro de pontos: 10/5. Quando a seleção da casa fez 13/6, o adversário pediu tempo. A vantagem da equipe verde e amarela chegou a 16/9. No bloqueio de Lucão, o placar foi a 18/11. Os argentinos passaram a pontuar mais e, quando chegaram a 18/14, Bernardinho pediu tempo. O Brasil voltou melhor, fez 23/18 e venceu por 25/20.

A Argentina começou o quarto set bem e abriu 3/1. Com Lipe, o Brasil encostou em 4/3. Os adversários voltaram a abrir (6/3) e Bernardinho parou o jogo. Mais uma vez, a equipe da casa buscou e, com Lucão, encostou em 6/5. O Brasil conseguiu o ponto de empate em 9/9. A Argentina voltou a passar a frente e fez 13/11. A seleção brasileira reagiu e, com Wallace, marcou 14/13. O placar voltou a ficar igual, mas, com Lucão, a equipe da casa fez 17/16. A parcial seguiu com grande equilíbrio. Mas, em noite inspirada, Wallace pontuou e levou a seleção brasileira a 20/18. Maurício Souza marcou 21/19. E, no final, o Brasil fechou em 25/23.

EQUIPES

BRASIL – Bruno, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Lucarelli e Lipe. Líbero – Serginho
Entraram – Maurício Borges, Evandro, William
Técnico: Bernardinho

ARGENTINA – De Cecco, Polgajen, Crer, Solé, Lima e Conte. Líbero – Gonzalez A.
Entraram – Palacios, Gonzalez J, Gonzalez D., Bruno
Técnico: Julio Velasco

GALERIA DE FOTOS

http://2016.cbv.com.br/midia/galeria-de-imagens/item/25685-rio-de-janeiro-rj---17.08.2016---jogos-olimpicos---brasil-x-aergentina.html

Partidas do Brasil na fase classificatória dos Jogos Olímpicos do Rio
 
Dia 07.08 – (11h35) - Brasil 3 x 1 México (23/25, 25/19, 25/14 e 25/18)
Dia 09.08 – (22h35) - Brasil 3 x 1 Canadá (24/26, 25/18, 25/22 e 25/17)
Dia 11.08 – (22h35) - Brasil 1 x 3 Estados Unidos (20/25, 23/25, 25/20 e 20/25)
Dia 13.08 – (22h35) - Brasil 1 x 3 Itália (25/23, 23/25, 22/25 e 15/25)
Dia 15.08 – (22h35) – Brasil 3 x 1 França (25/22, 22/25, 25/20 e 25/23)

Quartas de final

Dia 17.08 – (22h15) – Brasil 3 x 1 Argentina (25/22, 17/25, 25/20 e 25/23)
 
O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro