Classificada para a semifinal dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, a seleção brasileira masculina de vôlei terá a Rússia como adversário na busca por uma vaga na grande decisão. O encontro será a reedição da final olímpica de quatro anos atrás, quando os russos viraram o jogo e venceram os brasileiros por 3 sets a 2. Desta vez, ainda pela semi, o confronto será nesta sexta-feira (19.08), às 22h15, no ginásio do Maracanãzinho, onde acontece a disputa do vôlei nesta edição da Olimpíada.

O Brasil chega para a semifinal com três vitórias e dois resultados negativos na fase classificatória, pelo Grupo A, e depois de bater a Argentina na fade de quartas de final. A Rússia teve quatro resultados positivos e perdeu um jogo na primeira fase e, na rodada passada, levou a melhor sobre o Canadá. A outra semifinal será entre Estados Unidos e Itália, que se enfrentarão também na sexta-feira, às 13h. 

A seleção da casa chega para esta semifinal com o maior pontuador do torneio masculino de vôlei dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O oposto Wallace aparece em primeiro nesta lista, com 109 pontos marcados em seis jogos. Foram 101 de ataque, três de bloqueio e cinco de saque. Os números, segundo Wallace, não são o primordial. 

“Só se ganha um jogo e, principalmente uma Olimpíada, com o grupo todo. Nós estamos provando que temos os 12 jogadores preparados para quando for preciso e foi assim que conseguimos chegar nessa semifinal. É assim que vamos continuar, com todo o grupo unido e se ajudando sempre. Nessa altura do campeonato, não tem favoritismo, nem camisa. Qualquer um pode ganhar”, afirmou o oposto da seleção brasileira.

Acostumado a momentos decisivos, o jogador mais experiente da seleção brasileira, Serginho, destaca que é preciso saber jogar contra os russos. O líbero de 40 anos alerta para a força física do próximo adversário.

“Agora é uma outra situação. É pressão o tempo inteiro, mas nós estamos calejados. Vai ser mais um jogo difícil, como foi contra a Argentina. A Rússia tem uma tradição gigantesca, é um adversário alto, não dá para ir para cima deles no ataque, não adianta medir força, porque eles são mais fortes. Vamos fazer um jogo de paciência e buscar o resultado. Temos que saber jogar contra eles”, disse Serginho.

Após a disputa das quartas de final, oito seleções encerraram a participação nos Jogos Olímpicos do Rio. A Argentina ficou em quinto lugar, seguido por Canadá, Irã, Polônia, Egito, França, Cuba e México. Brasil, Rússia, Estados Unidos e Itália seguem na disputa pelo título. 

Lucarelli e Lipe apresentam melhora

Após dois sustos no jogo de ontem, os ponteiros Lucarelli e Lipe não dão mais tanta preocupação a comissão técnica. Nesta quinta-feira (18.08), Lucarelli passou por exame de ressonância magnética, que mostrou estiramento muscular leve em um musculo pequeno da coxa direita. Lipe, que sentiu uma contratura na lombar, amanheceu melhor, com menos dores. 

O médico da seleção, Dr. Ney Pecegueiro, explica cada situação: “O Lipe sentiu uma contratura em um movimento de defesa e não conseguiu continuar. Iniciamos um tratamento ainda na quadra e com fisioterapia, medicação e um pouco de repouso, devemos recuperá-lo para o jogo. O Lucarelli já tinha sentido um pouquinho de dor na coxa no jogo passado. Ontem, sentiu mais forte e não conseguiu continuar”, comentou Ney, que complementou. 

“Quando precisou, no momento em que o Lipe teve que sair, o Lucarelli voltou e ajudou da maneira que pôde. Foi uma superação. O que esses jogadores estão fazendo está bonito de ver. O que eles estão fazendo para conseguir uma medalha deixa a todos nós, que já trabalhamos nisso há muito tempo, emocionados”, 

Os dois jogadores já iniciaram o tratamento de fisioterapia e serão poupados no treino desta quinta. Na tarde desta sexta, dia da partida, Lucarelli e Lipe passarão por teste com o departamento médico para avaliar a condição de jogo.

Partidas do Brasil na fase classificatória dos Jogos Olímpicos do Rio

 
Dia 07.08 – (11h35) - Brasil 3 x 1 México (23/25, 25/19, 25/14 e 25/18)
Dia 09.08 – (22h35) - Brasil 3 x 1 Canadá (24/26, 25/18, 25/22 e 25/17)
Dia 11.08 – (22h35) - Brasil 1 x 3 Estados Unidos (20/25, 23/25, 25/20 e 20/25)
Dia 13.08 – (22h35) - Brasil 1 x 3 Itália (25/23, 23/25, 22/25 e 15/25)
Dia 15.08 – (22h35) – Brasil 3 x 1 França (25/22, 22/25, 25/20 e 25/23)

Quartas de final

Dia 17.08 – (22h15) – Brasil 3 x 1 Argentina (25/22, 17/25, 25/20 e 25/23)

Semifinal

Dia 19.08 – (22h15) – Brasil x Rússia
 
O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro