O Brasil está na final do torneio masculino de vôlei dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A seleção brasileira venceu a Rússia nesta sexta-feira (19.08) por 3 sets a 0 (25/21, 25/20 e 25/17), em 1h23 de partida e disputará a medalha de ouro contra a Itália, que passou pelos Estados Unidos na outra semifinal. A decisão será no próximo domingo, às 13h15, novamente no ginásio do Maracanãzinho, onde acontece a disputa da modalidade. 

O Brasil chega para a final com três vitórias e dois resultados negativos na fase classificatória, pelo Grupo A, e depois de bater a Argentina nas quartas de final e a Rússia na semi. Os italianos venceram quatro e perderam na primeira fase e depois passaram por Ira, nas quartas, e Estados Unidos na partida anterior a grande decisão.

O oposto Wallace foi o maior pontuador da partida, com 18 acertos. O ponteiro Lucarelli, com 10, também pontuou bem pela equipe verde e amarela. Pelo lado da Rússia quem mais marcou foi o atacante Mikhaylov com 16 acertos. 

O técnico Bernardinho falou sobre a evolução da seleção brasileira para chegar até a final dos Jogos Olímpicos do Rio.

“Talvez o nosso saque não tenha entrado nos primeiros jogos e isso condicionou um pouco certas atuações. A partir do jogo da França, mostramos capacidade de lidar com a situação difícil, lutar e sobreviver. Contra a Argentina, uma equipe que vinha como primeiro da chave, mas teoricamente menos capacitado, a pressão estava toda do lado de cá, dois jogadores se contundem e o time demonstrou o mais importante, que é dar o seu melhor. Nem sempre isso é suficiente e isso é do esporte, mas tem que dar o seu melhor. A equipe veio hoje com um desempenho técnico superior as outras, mas, certamente, contra a Itália vai ser um jogo totalmente diferente”, destacou Bernardinho.

O líbero Serginho parabenizou o grupo pela classificação à final e comentou sobre a expectativa para a disputa da sua quarta decisão olímpica. 

“Só tenho que agradecer a esse grupo. Essa equipe já mostrou em diversas ocasiões que consegue jogar um grande voleibol em momentos importantes. Só de pensar que vou disputar minha quarta final não consigo acreditar. Lembro de onde eu vim e é muito difícil de acreditar em tudo que conquistei nas quadras. Essa final olímpica vai ser como se fosse a minha primeira”, afirmou Serginho. 

O ponteiro Lucarelli falou da emoção de se classificar para sua primeira final na sua estreia nos Jogos Olímpicos do Rio. 

“A equipe entrou em quadra muito consciente de tudo que precisava fazer e isso dá uma tranquilidade. É uma felicidade muito grande chegar à uma final. Jogamos muito bem taticamente. Sacamos muito bem e erramos muito pouco. Conseguimos defender muito as jogadas deles. Temos que jogar desta maneira também contra a Itália. Sabemos da força que eles têm, mas vamos com tudo para buscar essa medalha de ouro”, garantiu Lucarelli. 

O JOGO

O Brasil abriu o placar do jogo no erro de saque da Rússia. O adversário devolveu com ponto de ataque. Com bons saques de Lipe, a equipe da casa fez 3/1. Os russos empataram em 3/3. Os brasileiros voltaram a abrir dois em 5/3 e a Rússia voltou a deixar tudo igual em 6/6. Com Wallace, o Brasil fez 9/7. O time visitante voltou a deixar tudo igual (9/9). O set seguiu equilibrado e a Rússia assumiu o comando do marcador em 13/12. Depois de grande defesa de Lipe, Lucarelli pontuou e o Brasil fez 14/13. Quando o placar foi para 16/14, os russos pediram tempo. No bloqueio de Wallace e Lucão, o Brasil abriu quatro (19/15). A vantagem passou a cinco em 20/15 e a Rússia pediu tempo. Os donos da casa mantiveram a diferença no placar e fizeram 23/18. E, com Lucarelli, o Brasil fechou em 25/21.

A Rússia saiu na frente no segundo set e fez 4/2. Na sequência, ainda chegou a 6/4. Com Wallace e Maurício Souza no contra-ataque, o Brasil deixou tudo igual: 6/6. O placar esteve igual novamente em 10/10. Os russos passaram a pontuar mais e fizeram 12/10. Bem no bloqueio, a seleção brasileira empatou (12/12). A equipe visitante voltou a abrir dois em 15/13. Com Lucão, a equipe brasileira fez 16/16 e, no erro do adversário, virou o set. O Brasil colocou dois de vantagem em 19/17. Depois de bom saque de Lucão, o time da casa bloqueou com Maurício Souza e fez 21/18. O adversário pediu tempo. O placar foi para 22/20 e Bernardinho pediu tempo. Na volta, o Brasil venceu por 25/20.

O Brasil começou bem e, na bola de segunda de Bruninho, fez 2/0. No ace de Lipe, o placar foi para 5/1. A Rússia reagiu, empatou em 6/6 e Bernardinho parou o jogo com pedido de tempo. O set esteve empatado novamente em 8/8 e em 10/10. A seleção brasileira voltou a pontuar bem e, no ace de Wallace, fez 12/10. Ainda com bloqueio de Lucão, o time da casa fez 13/10 e os russos pediram tempo. Bruninho bloqueou e o Brasil marcou 16/11. Com dois pontos seguidos de Wallace no bloqueio, o placar apontou 20/13. O time de Bernardinho seguiu melhor e fechou o terceiro set em 25/17.

EQUIPES

BRASIL – Bruno, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Lipe e Lucarelli. Líbero – Serginho 

Entraram – William, Evandro

Técnico: Bernardinho

RÚSSIA – Grankin, Tetyukhin, Volich, Mikhaylov, Volkov e Kliuka. Líbero – Verbov 

Entraram – Kobzar, Bakun, Ermakov

Técnico: Vladimir Alekno

GALERIA DE FOTOS

http://2016.cbv.com.br/midia/galeria-de-imagens/item/25695-rio-de-janeiro-rj---19.08.2016---jogos-olimpicos---brasil-x-russia-.html

Partidas do Brasil na fase classificatória dos Jogos Olímpicos do Rio
 
Dia 07.08 – (11h35) - Brasil 3 x 1 México (23/25, 25/19, 25/14 e 25/18)
Dia 09.08 – (22h35) - Brasil 3 x 1 Canadá (24/26, 25/18, 25/22 e 25/17)
Dia 11.08 – (22h35) - Brasil 1 x 3 Estados Unidos (20/25, 23/25, 25/20 e 20/25)
Dia 13.08 – (22h35) - Brasil 1 x 3 Itália (25/23, 23/25, 22/25 e 15/25)
Dia 15.08 – (22h35) – Brasil 3 x 1 França (25/22, 22/25, 25/20 e 25/23)

Quartas de final

Dia 17.08 – (22h15) – Brasil 3 x 1 Argentina (25/22, 17/25, 25/20 e 25/23)

Semifinal

Dia 19.08 – (22h15) – Brasil 3 x 0 Rússia (25/21, 25/20 e 25/17)
 
O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro