A seleção brasileira masculina de vôlei iniciou a comemoração pelo tricampeonato olímpico com uma tarde histórica no Estádio Atlético Paranaense, em Curitiba (PR). Cerca de 33.000 pessoas encheram uma das principais arenas do país para celebrar e torcer pela equipe verde e amarela. Depois de merecidas homenagens, o grupo comandado pelo treinador Bernardinho venceu Portugal por 3 sets a 0 (25/17, 25/13 e 25/16), na primeira das duas partidas entre as seleções pelo Desafio de Ouro. 
O segundo jogo será realizado no estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF), às 10h deste domingo (04.09), também com transmissão ao vivo do SporTV e, desta vez, também da TV Globo. 

A partida será a última chance de os brasileiros assistirem de perto o líbero Serginho, dono de dois ouros e duas pratas olímpicas, com a camisa da equipe do Brasil. O líbero, eleito o melhor jogador dos Jogos Olímpicos Rio 2016, anunciou sua despedida depois da conquista do ouro olímpico no Maracanãzinho. 

Um dos mais emocionados por viver esse momento, o curitibano Lipe falou sobre a honra de jogar com a camisa do Brasil diante de um grande público. 

“É uma felicidade imensa viver esse momento na minha cidade. Foi um espetáculo para o público e uma homenagem que nos deixou muito felizes. O público sabe que tenho muito orgulho de ser curitibano e adoro o tempo fechado com chuva, como aconteceu hoje. Só tenho que agradecer por ter vivido tudo isso”, afirmou Lipe.  

O central Lucão comentou sobre a experiência de jogar em um estádio de futebol e fez questão agradecer ao líbero Serginho por todos os anos de dedicação ao voleibol brasileiro. 

“Foi muito emocionante disputar essa partida com um público desse tamanho. O Serginho é um atleta incrível e fez por merecer tudo que ele conquistou no esporte. Ainda acho que ele vai conseguir mais vitórias no voleibol”, disse Lucão. 

O ponteiro Lucarelli parabenizou a organização pelo evento e também fez questão de dizer algumas palavras sobre o experiente líbero da seleção brasileira.

“O evento foi fantástico. A atmosfera de jogar em um estádio de futebol é muito diferente. Nunca tínhamos vivenciado isso. O Serginho é um jogador e uma pessoa incrível e ele merecia um ano inteiro de despedida. Ele foi um líder para o nosso grupo e é um ser humano incrível”, disse Lucarelli. 

O levantador e capitão Bruninho agradeceu a todo o povo brasileiro pelo apoio ao longo da caminhada olímpica. 

“Nem nos meus melhores sonhos eu esperava participar de um jogo como esse com mais de 30 mil pessoas no estádio. Foi algo mágico e vai ficar para sempre marcado nas nossas vidas. Momentos como esse fazem todos os sacrifícios valerem a pena. Estou muito emocionado e honrado de ter participado desse dia e só tenho que agradecer a todo o povo brasileiro”, finalizou Bruninho. 

O Brasil começou a partida com o levantador Bruninho, o oposto Wallace, os ponteiros Lipe e Douglas, os centrais Lucão e Éder e o líbero Serginho. 

O tricampeonato olímpico 

Barcelona 1992

Com uma equipe jovem comandada pelo treinador José Roberto Guimarães, o Brasil teve uma campanha irretocável no torneio masculino, perdeu apenas três sets, e, na decisão, no dia 9 de agosto de 1992, superou a Holanda por 3 sets a 0 para conquistar a primeira medalha de ouro olímpica da história do voleibol brasileiro. 

O ponto que definiu a conquista do título olímpico veio com um saque potente do oposto Marcelo Negrão que não deu chance de defesa para os holandeses e marcou o título da geração de ouro do voleibol brasileiro. 

A equipe brasileira foi formada por Maurício, Talmo, Marcelo Negrão, Janelson, Jorge Edson, Tande, Giovane, Paulão, Pampa, Carlão (capitão), Douglas Chiarotti e Amauri.

Atenas 2004 

Os Jogos Olímpicos de Atenas consagraram a era Bernardinho. Com a vitória sobre a Itália na decisão por 3 sets a 1, no dia 29 de agosto de 2004, o Brasil venceu naquele ciclo olímpico os principais torneios do mundo; além das Olimpíadas, o Mundial, a Copa do Mundo e a Liga Mundial. Naquela conquista, o levantador Maurício e o ponteiro Giovane se sagraram os primeiros bicampeões olímpicos do voleibol brasileiro. 

O time brasileiro foi composto por Ricardinho, Maurício, André Nascimento, Anderson, Giba, Nalbert, Giovane, Dante, André Heller, Rodrigão, Gustavo e Serginho. 

Rio 2016 

Na quarta final consecutiva de Jogos Olímpicos, o Brasil conquistou a quarta medalha, desta vez, de ouro e em casa, na primeira edição do campeonato mais importante do calendário esportivo em solo brasileiro. A equipe dirigida pelo técnico Bernardinho se tornou tricampeã olímpica ao bater a Itália no dia 21 de agosto na por 3 sets a 0, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro.

O Brasil teve quatro representantes na seleção dos Jogos Olímpicos. O levantador Bruninho foi eleito o melhor da sua posição, Wallace foi o melhor oposto, Lucarelli, o melhor ponteiro e Serginho foi eleito o melhor líbero e o melhor jogador da competição. Além do melhor oposto, Wallace foi o maior pontuador da decisão, com 20 acertos. 

A equipe brasileira foi formada por Bruninho, William, Wallace, Evandro, Lipe, Lucarelli, Douglas Souza e Maurício Borges, Éder, Maurício Souza, Lucão e Serginho.

VEJA COMO COMPRAR SEU INGRESSO PARA O DESAFIO DE OURO EM http://2016.cbv.com.br/desafio-de-ouro-2016.html

O Desafio de Ouro é uma realização da CBV com apoio da Federação Paranaense de Voleibol, da Federação do Distrito Federal de Voleibol e do Clube Atlético Paranaense.

GALERIA DE FOTOS:

http://2016.cbv.com.br/midia/galeria-de-imagens/item/25761-desafio-de-ouro---brasil-x-portugal----03.09.2016.html

DESAFIO DE OURO 

03/09 – Brasil 3 x 0 Portugal (25/17, 25/13 e 25/16), no Estádio Atlético Paranaense, em Curitiba (PR), às 16h (SporTV) 
04/09 - Brasil x Portugal, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF), às 10h (SporTV) 

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro