Confederação Brasileira de Voleibol


Vôlei de Praia nos Jogos Rio 2016


Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro representarão a sexta edição consecutiva em que o vôlei de praia figura no programa esportivo. O formato permanece o mesmo das edições anteriores, com 24 duplas em cada naipe. O Brasil é o país com mais medalhas, 11 no total, sendo duas de ouro, seis de prata e três de bronze. Os EUA aparecem em seguida, com nove medalhas.

As 24 duplas de cada naipe são divididas em seis grupos com quatro times que se enfrentam entre si pela fase de grupos. Os dois primeiros colocados de cada grupo, além dos dois melhores terceiros colocados, avançam direto às oitavas de final.

Os outros quatro terceiros colocados dos grupos disputam dois jogos da rodada de lucky loser, com os dois vencedores completando a lista de 16 duplas classificadas às oitavas de final. A partir deste ponto, a fase final será conduzida de acordo com o formato de eliminação simples.

As oito equipes vencedoras nas oitavas avançam às quartas de final, e as quatro equipes vencedoras nas quartas de final qualificam-se às semifinais. Os dois vencedores das semifinais jogam em busca da medalha de ouro, e os perdedores disputam o bronze.

O local de competição será a Praia de Copacabana, palco histórico do vôlei de praia, que já recebeu edições do Campeonato Mundial e do Circuito Mundial. A arena de estrutura temporária montada na altura da Avenida Princesa Isabel (Posto 2) terá capacidade para 12 mil espectadores com uma quadra central para jogos, cinco para treinos e duas para aquecimento.

Ágatha e Bárbara Seixas


Nome: Ágatha Bednarczuk Rippel
Cidade: Curitiba (PR)
Nascimento: 22/06/1983
Altura: 1,82m
Peso: 70kg

Nome: Bárbara Seixas de Freitas
Cidade: Rio de Janeiro (RJ)
Nascimento: 03/08/1987
Altura: 1,77m
Peso: 66kg

A carioca Bárbara e a paranaense Ágatha firmaram parceria no meio da temporada 2011, portanto, a mais longa entre as quatro duplas brasileiras na Rio 2016. O entrosamento dentro e fora de quadra resultou na conquista do Circuito Brasileiro nas temporadas 12/13 e 13/14. O primeiro ouro do time no Circuito Mundial foi no Open de Puerto Vallarta (MEX), em 2014. Naquele ano, terminaram na segunda colocação do ranking geral.

Na temporada seguinte viveram o melhor momento da parceria, conquistando os títulos do Open de Praga (RTC), do Grand Slam de St. Petersburgo (EUA) e o Campeonato Mundial, na Holanda. Ainda se tornaram as campeãs do Circuito Mundial e, na temporada brasileira, ficaram no lugar mais alto do pódio no SuperPraia, em Maceió (AL). Os resultados culminaram na classificação olímpica, a primeira participação de ambas.

A dupla é treinada por Ricardo de Freitas, marido de Bárbara e filho do ícone Bebeto de Freitas, técnico da Geração de Prata dos Jogos Olímpicos de 1984. O preparador físico do time, Renan Rippel, é casado com Ágatha. Ao todo, a comissão técnica tem mais de dez integrantes, cada um responsável por uma área da preparação.

Ágatha começou no vôlei em Paranaguá (PR), em 1992, na quadra. Mudou para as areias em 2001, ao disputar um torneio convidada por uma amiga. E se apaixonou. Ela chegou a jogar ao lado da campeã olímpica Sandra Pires em 2005. Iniciou uma graduação em jornalismo, mas abandonou para se concentrar integralmente no vôlei de praia.

Já Bárbara Seixas deu os primeiros passos na modalidade em uma escolinha na Barra da Tijuca. Ela despontou como grande promessa já nas categorias de base, quando conquistou o Mundial Sub-19 em 2005 e o bicampeonato mundial Sub-21 (2006 e 2007). Bárbara ainda viveu uma experiência no voleibol da Turquia, antes de voltar ao Brasil. Ricardo Seixas, irmão da jogadora, também integra a comissão, sendo analista de vídeo.

Principais conquistas da dupla:
» Campeãs do Campeonato Mundial na Holanda em 2015
» Campeãs do Circuito Mundial 2015
» Vice-campeãs da etapa de Hamburgo (Alemanha) do Circuito Mundial 2016
» Bicampeãs do SuperPraia (2015 e 2016)
» Bicampeãs do Circuito Brasileiro (12/13 e 13/14)
» Campeãs da etapa de Praga (RTC) e São Petersburgo (EUA) do Circuito Mundial 2015