Confederação Brasileira de Voleibol

Picture

Atlanta (EUA)


A estreia do vôlei de praia no programa olímpico aconteceu nos Estados Unidos, país onde o esporte nasceu. A competição contou com 24 duplas no torneio masculino. A arena montada para 10 mil pessoas teve lotação máxima nos seis dias de evento e cerca de 107 mil espectadores. O Brasil foi representado por Franco/Roberto Lopes e Zé Marco/Emanuel.

As duas duplas brasileiras chegaram aos Jogos com títulos importantes no currículo. Franco e Roberto Lopes haviam conquistado o Circuito Mundial em 1993 e 1995, além do Circuito Brasileiro também em 1993. Zé Marco e Emanuel eram bicampeões brasileiros (1994 e 1995).

As duas equipes foram eliminadas nas oitavas de final, terminando na nona colocação na primeira participação olímpica. Zé Marco e Emanuel caíram para os portugueses Miguel Maia/João Brenha, enquanto Franco e Roberto Lopes acabaram superados pelos noruegueses Kvalheim/Maaseide, que haviam sido campeões do Circuito Mundial em 1994.

O título ficou com os norte-americanos Karch Kiraly e Kent Steffes, que venceram os também norte-americanos Mike Dodd and Mike Whitmarsh, para delírio dos torcedores locais. O bronze ficou com os canadenses Child e Heese.

Classificação final
Ouro – Karch Kiraly/Kent Steffes (EUA)
Prata – Mike Dood/Mike Whitmarsh (EUA)
Bronze – Child/Heese (Canadá)
Brasil – 9º (Franco/Roberto Lopes) e 9º (Zé Marco/Emanuel)

Campanha das duplas brasileiras
SEGUNDA RODADA – CHAVE DOS VENCEDORES
Franco/Roberto Lopes 1 x 0 Palinek/Pakosta (RTC) - (15/5)
Zé Marco/Emanuel 1 x 0 Penigaud/Jodard (FRA) - (15/1)

TERCEIRA RODADA – CHAVE DOS VENCEDORES
Franco/Roberto Lopes 0 x 1 Bosma/Jimenez (ESP) – (9/15)
Zé Marco/Emanuel 0 x 1 Dodd/ Whitmarsh (EUA) – (9/15)

TERCEIRA RODADA – CHAVE DOS PERDEDORES
Franco/Roberto Lopes 0 x 1 Kvalheim/Maaseide (NOR) – (10/15)
Zé Marco/Emanuel 0 x 1 Maia/Brenha (POR) – (12/15)

1996
Picture

Sydney (AUS)


A edição ficou marcada pela primeira medalha brasileira no naipe masculino, além da consolidação do país como potência, ganhando mais duas medalhas entre as mulheres. Se na primeira edição tudo era novidade, em Sydney os times chegaram com um nível maior de preparação e conhecimento técnico, graças à evolução do esporte.

O estreante baiano Ricardo, promissor e talentoso, então com 25 anos, juntou-se ao paraibano Zé Marco, já com experiência olímpica. Zé era quatro anos mais velho que o parceiro, e a união de ambos foi fundamental para conquistar a primeira medalha entre os homens.

Eles venceram quatro partidas e só foram superados na final, ao serem derrotados pelos norte-americanos Dain Blanton e Eric Fonoimoana por 2 sets a 0 (12/11 e 12/9). Naquele ano, Ricardo e Zé Marco conquistariam o Circuito Mundial. O bronze naquela edição ficou com os lemãs Hager/Ahmann.

A outra dupla brasileira, formada por Emanuel e Loyola, que um ano antes dos Jogos havia se sagrado campeã do Campeonato Mundial, acabou derrotada nas oitavas de final para os espanhóis Bosma e Diez, terminando na nona colocação.

Classificação final
Ouro – Dain Blanton/Eric Fonoiomoana (EUA)
Prata – Ricardo/Zé Marco (Brasil)
Bronze – Hager/Ahmann (Alemanha)
Mais Brasil – 9º (Emanuel/Loiola)

Campanha das duplas brasileiras
PRELIMINARES
Zé Marco/Ricardo 1 x 0 Berg/Dahl (SUE) – (15/5)
Emanuel/Loyola 1 x 0 Grinlaubs/Slack (AUS) – (15/3)

OITAVAS DE FINAL
Zé Marco/Ricardo 1 x 0 Berger/Stamm (AUT) – (16/14)
Emanuel/Loyola 1 x 0 Bosma/Diez (ESP) – (16/17)

QUARTAS DE FINAL
Zé Marco/Ricardo 1 x 0 Child/Heese (CAN) – (15/13)

SEMIFINAIS
Zé Marco/Ricardo 1 x 0 Ahmann/Hager (ALE) – (15/5)

FINAL
Zé Marco/Ricardo 0 x 2 Blanton/Fonoimoana (EUA) – (11/12, 9/12)

2000
Picture

Atenas (GRE)


Um estádio com o formato de um anfiteatro grego tradicional para cerca de 10 mil torcedores. O palco para a primeira medalha de ouro brasileira no naipe masculino uniu tradição e beleza na ‘casa’ dos Jogos Olímpicos. Ricardo e Emanuel uniram suas experiências olímpicas anteriores em busca do ouro. Eles haviam vencido o Campeonato Mundial, um ano antes, além de duas edições do Circuito Brasileiro, chegando como favoritos aos jogos.

A campanha foi excepcional, perdendo apenas um set nos três jogos da primeira fase. O duelo mais complicado ocorreu na semifinal, contra os suíços Kobel e Heuscher, decidida no tie- break. Na decisão, confirmaram o posto de favoritos ao derrotarem os espanhóis Bosma e Herrera por 2 sets a 0 (21/16, 21/15). Naquela decisão, Ricardo atuou com uma entorse no tornozelo direito, mas nem isso impediu a conquista.

Márcio Araújo e Benjamin, outra dupla brasileira no torneio masculino, encerrou participação na nona colocação. Eles estreavam em Jogos Olímpicos e já tinham no currículo um bronze no Campeonato Mundial de 2003, no Rio de Janeiro, além de um título brasileiro, em 2000. Venceram dois jogos e perderam um na primeira fase, caindo na sequência para os irmãos suíços Paul e Martin Laciga nas oitavas de final.

Classificação final
Ouro – Ricardo/Emanuel (Brasil)
Prata –Bosma/Herrera (Espanha)
Bronze – Patrick Heuscher/Kobel (Suíça)
Mais Brasil – 9º (Márcio Araújo/Benjamin)

Campanha das duplas brasileiras
FASE DE GRUPOS
Emanuel/Ricardo 2 x 1 Horrem/Maaseide (NOR) – (21/15, 19/21, 15/10)
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Schacht/Slack (AUS) – (22/24, 24/22, 15/13)
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Holdren/Metzger (EUA) – (21/17, 21/10)
Márcio Araújo/Benjamin 2 x 0 Canet/Hamel (FRA) - (21/13, 21/14)
Márcio Araújo/Benjamin 2 x 0 Alvarez/Rosell (CUB) – (23/21, 22/20)
Márcio Araújo/Benjamin 0 x 2 Dieckmann/Scheuerpflug (ALE) – (20/22, 17/21)

OITAVAS DE FINAL
Emanuel/Ricardo 2 x 1 Hoidalen/Kjemperud () – (21/15, 19/21, 15/6)
Márcio Araújo/Benjamin 0 x 2 Laciga/Laciga (SUI) - (21/19, 19/21, 15/12)

QUARTAS DE FINAL
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Laciga/Laciga (SUI) – (21/13, 21/16)

SEMIFINAL
Emanuel/Ricardo 2 x 1 Heuscher/Kobel (SUI) – (21/14, 19/21, 15/12)

FINAL
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Bosma/Herrera (SUI) – (21/16, 21/15)

2004
Picture

Pequim (CHN)


A quarta competição de vôlei de praia olímpico novamente viu 24 duplas em cada naipe competindo em um total de 108 jogos. O Chaoyang Park recebeu uma arena para 12 mil pessoas, a maior até aquele momento, e novamente o Brasil chegou ao pódio. E pela primeira vez foram duas medalhas no torneio masculino. O país foi representado por Márcio Araújo/Fábio Luiz e os campeões olímpicos Ricardo/Emanuel.

Foi uma edição de superação para Márcio Araújo e Fábio Luiz, confirmando a vaga nos Jogos em um confronto direto contra Harley/Pedro Solberg, que viviam grande fase e conquistariam o Circuito Mundial naquele ano. O cearense e o capixaba, porém, também tinham um currículo de respeito. Campeões brasileiros e do Campeonato Mundial em 2005, logo quando se uniram.

Na semifinal, encontro brasileiro contra Ricardo e Emanuel, que além de um ouro olímpico, haviam sido campeões do Circuito Mundial de 2003 a 2007. O jogo foi tenso, mas Márcio e Fábio superaram por 2 sets a 0 (22/20, 21/18) aquele que é apontado como o maior time do vôlei de praia de todos os tempos, levando o Brasil à terceira final no naipe masculino.

Na decisão, porém, os norte-americanos Phil Dalhausser e Todd Rogers jogaram melhor, vencendo por 2 sets a 1 (23/21, 17/21, 15/4), na primeira final olímpica decidida no tie-break. Ricardo e Emanuel superaram a derrota na semifinal e venceram os brasileiros naturalizados georgianos Jorge e Renatão para capturarem o bronze.

Classificação final
Ouro– Dalhausser/Rogers (EUA)
Prata–Márcio Araújo/Fábio Luiz (Brasil)
Bronze – Ricardo/Emanuel (Brasil)

Campanha das duplas brasileiras
FASE DE GRUPOS
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Abreu/Fernandes (ANG) – (21/8, 21/13)
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Renatão/Jorge (GEO) – (21/19, 21/17)
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Schacht/Slack (AUS) – (21/14, 21/17)
Márcio Araújo/Fábio Luiz 2 x 0 Amore/Lione (ITA) – (21/18, 21/18)
Márcio Araújo/Fábio Luiz 1 x 2 Doppler/Gartmayer (AUT) – (20/22, 21/19, 15/11)
Márcio Araújo/Fábio Luiz 2 x 0 Barsouk/Kolodinsky (RUS) – (24/22, 21/17)

OITAVAS DE FINAL
Emanuel/Ricardo 2 x 1 Barsouk/Kolodinsky (RUS) - (18/21, 25/23, 15/12)
Márcio Araújo/Fábio Luiz 2 x 1 Asahi/Shiratori (JAP) – (23/21, 21/15)

QUARTAS DE FINAL
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Gibb/Rosenthal (EUA) – (21/18, 21/16)
Márcio Araújo/Fábio Luiz 2 x 0 Gosch/Horst (AUT) – (22/20, 21/17)

SEMIFINAL
Márcio Araújo/Fábio Luiz 2 x 0 Emanuel/Ricardo – (22/20, 21/18)

BRONZE
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Renatão/Jorge (GEO) – (21/15, 21/10)

OURO
Márcio Araújo/Fábio Luiz 0 x 2 Dalhausser/Rogers – (23/21, 17/21, 15/4)

2008
Picture

Londres (GBR)


A quinta participação do vôlei de praia só confirmou o sucesso da modalidade, com ingressos esgotados mesmo em um país com pouca tradição no esporte, a Inglaterra. E a edição londrina marcou feitos históricos e despedidas. O Brasil, como sempre, esteve no pódio com uma medalha em cada naipe, mesclando juventude e experiência.

O estreante Alison, que tinha 26 anos em Londres, se uniu ao experiente Emanuel, que chegava à sua quinta e última edição dos Jogos Olímpicos, aos 39 anos. A dupla tinha um currículo impressionante, com títulos do Campeonato e do Circuito Mundial de 2011, além do Circuito Brasileiro daquele mesmo ano, comandados pela técnica Letícia Pessoa, que havia treinado Adriana Behar e Shelda nas duas medalhas olímpicas da parceria.

Eles chegaram invictos à final, mas acabaram superados pelos alemães Brink e Reckerman por 2 sets a 1 (23/21, 16/21, 16/14), em uma partida eletrizante. Foi a primeira vez que um país europeu conquistou uma medalha de ouro. Já a outra dupla brasileira no torneio, Pedro Cunha/Ricardo, ficou na 5ª posição. Eles foram derrotados nas quartas de finais pelos alemães que futuramente ficariam com a medalha de ouro.

Classificação final
Ouro – Julius Brink/Jonas Reckerman (Alemanha)
Prata–Alison/Emanuel (Brasil)
Bronze – Plavins/Smedins (Letônia)
Mais Brasil – 5º (Pedro Cunha/Ricardo)

Campanha das duplas brasileiras
FASE DE GRUPOS
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Doppler/Horst (AUT) – (19/21, 21/17, 16/14)
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Bellaguarda/Heuscher (SUI) – (21/19, 21/18)
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Lupo/Nicolai (ITA) – (26/24, 21/18)
Ricardo/Pedro Cunha 2 x 0 Skarlund/Spinnangr (NOR) – (21/14, 21/18)
Ricardo/Pedro Cunha 2 x 0 Garcia/Grotowski (GBR) – (21/17, 21/12)
Ricardo/Pedro Cunha 2 x 1 Binstock/Reader (CAN) – (21/18, 24/22)

OITAVAS DE FINAL
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Erdmann/Matysik (ALE) – (21/16, 21/14)
Ricardo/Pedro Cunha 2 x 0 Gavira/Herrera (ESP) – (21/18, 21/19)

QUARTAS DE FINAL
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Fijalek/Prudel (POL) – (21/17, 16/21, 17/15)
Ricardo/Pedro Cunha 0 x 2 Brink/Reckermann (ALE) – (21/15, 21/19)

SEMIFINAL
Emanuel/Ricardo 2 x 0 Smedins/Plavins (LET) – (21/15, 22/20)

FINAL
Emanuel/Ricardo 1 x 2 Brink/Reckermann (ALE) – (23/21, 16/21, 16/14)

2012