Confederação Brasileira de Voleibol

Picture

Tóquio (JAP)


A capital japonesa foi sede dos XVIII Jogos Olímpicos da Era Moderna e a primeira realizada em uma cidade asiática. A edição foi marcada pela estreia do voleibol com participação brasileira no torneio masculino, que contou com dez países. A União Soviética (URSS) sagrou-se como primeira equipe campeã entre os homens. No torneio feminino, seis equipes disputaram o título, que ficou com as donas da casa. A seleção do Brasil, mesmo já contando com cinco títulos sul-americanos, ficou apenas na sétima posição. Entre os atletas que defenderam o Brasil em quadra estava Carlos Arthur Nuzman, que depois se tornou presidente da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), entre 1975 e 1995, e em seguida presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB). Na ocasião, o time foi comandado por Sami Mehlinsky, grande difusor do voleibol no país.

Classificação final
Ouro – URSS
Prata – Tchecoslováquia
Bronze – Japão
Brasil – 7º lugar

Campanha do Brasil
Em 1964 as dez equipes do torneio masculino jogaram entre si.
1ª rodada – 13.10.1964
BRASIL 0x3 Bulgária (14/16, 10/15 e 8/15)
2ª rodada – 14.10.1964
BRASIL 0x3 Romênia (6/15, 5/15 e 5/15)
3ª rodada – 15.10.1964
BRASIL 2x3 Holanda (16/14, 11/15, 12/15, 15/6 e 14/16)
4ª rodada – 17.10.1964
BRASIL 3x1 Coreia do Sul (15/12, 15/8, 14/16 e 16/14)
5ª rodada – 18.10.1964
BRASIL 3x2 Hungria (15/4, 13/15, 11/15, 16/14 e 16/14)
6ª rodada – 19.10.1964
BRASIL 0x3 Tchecoslováquia (5/15, 6/15 e 10/15)
7ª rodada – 21.10.1964
BRASIL 2x3 Japão (12/15, 9/15, 15/12, 15/7 e 11/15)
8ª rodada – 22.10.1964
BRASIL 3x2 Estados Unidos (5/15, 11/15, 15/9, 15/6 e 15/9)
9ª rodada – 23.10.1964
BRASIL 0x União Soviética (7/15, 6/15 e 9/15)

1964
Picture

Cidade do México (MEX)


Na segunda participação do voleibol nos Jogos Olímpicos, a hegemonia nipo-soviética foi consolidada com os dois países fazendo dobradinha em ambos os naipes, a URSS com o ouro e o Japão com a prata. Tchecoslováquia, no masculino, e Polônia, no feminino, completaram o pódio. O Brasil novamente participou apenas com a equipe masculina e terminou na nona posição entre dez participantes.

Classificação final
Ouro – URSS
Prata – Japão
Bronze – Tchecoslováquia
Brasil – 9º lugar

Campanha do Brasil
Na edição mexicana o regulamento foi o mesmo do primeiro torneio olímpico em 1964.
1ª rodada – 13.10.1968
BRASIL 1x3 Bélgica (7/15, 14/16, 15/9 e 6/15)
2ª rodada – 16.10.1968
BRASIL 1x3 União Soviética (15/11, 2/15, 9/15 e 9/15)
3ª rodada – 17.10.1968
BRASIL 0x3 Estados Unidos (12/15, 7/15 e 10/15)
4ª rodada – 19.10.1968
BRASIL 2x3 Tchecoslováquia (12/15, 10/15, 15/13, 15/13 e 9/15)
5ª rodada – 20.10.1968
BRASIL 0x3 Bulgária (8/15, 16/18 e 3/15)
6ª rodada – 21.10.1968
BRASIL 0x3 Polônia (12/15, 4/15 e 7/15)
7ª rodada – 23.10.1968
BRASIL 1x3 Alemanha Oriental (13/15, 7/15, 16/14 e 12/15)
8ª rodada – 24.10.1968
BRASIL 0x3 Japão (8/15, 11/15 e 12/15)
9ª rodada – 25.10.1968
BRASIL 3x1 México (14/16, 15/6, 17/15 e 15/8)

1968
Picture

Munique (ALE)


A edição dos Jogos na cidade alemã ficou marcada pelo ataque terrorista de um grupo radical palestino contra a delegação de Israel que terminou com 17 mortes (11 israelenses, cinco palestinos e um policial alemão). No voleibol, foi introduzido o formato que conta com partidas classificatórias, seguida de fase eliminatória (quartas de final, semifinais e final), mas as grandes forças da modalidade continuavam imutáveis e imbatíveis. Dominaram o cenário o Japão, com o ouro no masculino e a prata no feminino, e a União Soviética, com ouro entre as mulheres e bronze com os homens. Outras duas equipes de países comunistas foram medalhistas: Alemanha Oriental, prata no masculino, e Coreia do Norte, bronze no feminino. O Brasil melhorou uma posição em relação à edição anterior e ficou em oitavo.

Classificação final
Ouro – Japão
Prata – Alemanha Oriental
Bronze – URSS
Brasil – 8º lugar

Campanha do Brasil
Em Munique foram 12 seleções no torneio masculino divididos em dois grupos de seis.
O Brasil ficou no grupo B.
Primeira Fase
1ª rodada – 28.08.1972
BRASIL 3x2 Alemanha Ocidental (15/7, 15/8, 17/19, 6/15 e 15/9)
2ª rodada – 30.08.1972
BRASIL 1x3 Alemanha Oriental (5/15, 15/7, 14/16 e 10/15)
3ª rodada – 01.09.1972
BRASIL 3x2 Romênia (18/16, 11/15, 15/7, 11/15 e 15/12)
4ª rodada – 03.09.1972
BRASIL 0x3 Japão (7/15, 13/15 e 11/15)
5ª rodada – 05.09.1972
BRASIL 2x3 Cuba (14/16, 15/6, 7/15, 15/7 e 9/15)
Disputa semifinal de 5º ao 8º - 08.09.1972
BRASIL 0x3 Tchecoslováquia (8/15, 6/15 e 1/15)
Disputa de 7º lugar – 09.09.1972
BRASIL 0x3 Coreia do Sul (16/18, 7/15 e 5/15)

1972
Picture

Montreal (CAN)


A quarta edição olímpica com a participação do voleibol teve a Polônia desbancando os soviéticos na final, com uma “arma secreta”. Foram os poloneses que introduziram a jogada de fundo, também conhecida como pipe, quando o atacante salta atrás da linha de três metros. Ainda entre os homens, a seleção cubana conquistou o bronze, única medalha do país caribenho no torneio masculino. Entre as mulheres o pódio foi muito similar ao de Munique, desta vez com o Japão no topo, seguido da URSS e da Coreia do Sul.

Este foi o último torneio olímpico em que o Brasil foi representado apenas pela seleção masculina. No time enviado a Montreal estavam alguns nomes que entrariam para a história do voleibol nacional como José Roberto Guimarães, Bernard Rajzman, Fernandão, Bebeto de Freitas e William Carvalho, comandados por Carlos Souto, hoje presidente da Federação de Volley-ball do Rio de Janeiro. A equipe terminou na sétima posição.

Classificação final
Ouro – Polônia
Prata – URSS
Bronze – Cuba
Brasil – 7º lugar

Campanha do Brasil
Na quarta edição dos Jogos Olímpicos com a participação do voleibol, o torneio masculino teve dez equipes divididas em dois grupos com cinco. O Brasil ficou no grupo B
1ª rodada – 18.07.1976
BRASIL x Egito (o time egípico desistiu de participar e os jogos contra a equipe africana não foram computados)
2ª rodada – 20.07.1976
BRASIL 0x3 União Soviética (7/15, 11/15 e 2/15)
3ª rodada – 22.07.1976
BRASIL 0x3 Japão (13/15, 8/15 e 9/15)
4ª rodada – 24.07.1976
BRASIL 3x2 Itália (15/8, 11/15, 12/15, 15/6 e 15/8)
Disputa de 5º a 8º - 26.07.1976
BRASIL 2x3 Coreia do Sul (12/15, 15/12, 15/7, 6/15 e 5/15)
Disputa de 7º lugar – 27.07.1976
BRASIL 3x0 Itália (15/8, 15/6 e 15/8)

1976
Picture

Moscou (RUS)


A realização dos Jogos Olímpicos em Moscou, capital da maior potência comunista em meio à Guerra Fria, motivou o boicote por parte de países sob a influência dos EUA, que encabeçou o movimento. A ausência de forças como Japão e Coreia deixou livre o caminho para as equipes do Leste Europeu tomarem conta do pódio. No torneio masculino, mais uma vez o ouro foi para a União Soviética, que levou a melhor sobre a Bulgária. O bronze foi para a Romênia. O Brasil ficou em quinto lugar com uma equipe que apresentava jovens talentos como Montanaro, Renan Dal Zotto, Bernardo Rezende, Xandó, Badalhoca e Amauri.

Classificação final
Ouro – URSS
Prata – Bulgária
Bronze – Romênia
Brasil – 5º lugar

Campanha do Brasil
Pela primeira vez o Brasil chegou com as seleções masculina e feminina. Entre os homens, foram dez equipes divididas em dois grupos de cinco.
1ª rodada – 20.07.1980 - descanso
2ª rodada – 22.07.1980
BRASIL 2x3 Iugoslávia (15/8, 12/15, 15/10, 4/15 e 12/15)
3ª rodada – 24.07.1980
BRASIL 1x3 Romênia (15/13, 4/15, 12/15 e 3/15)
4ª rodada – 26.07.1980
BRASIL 3x0 Líbia (15/1, 15/2 e 15/6)
5ª rodada – 28.07.1980
BRASIL 3x2 Polônia (13/15, 18/20, 17/15, 15/11 e 15/5)
Disputa de 5º a 8º - 30.07.1980
BRASIL 3x0 Tchecoslováquia (16/14, 15/11 e 15/9)
Disputa de 5º lugar – 31.07.1980
BRASIL 3x2 Iugoslávia (14/16, 15/9, 8/15, 15/10 e 15/8)

1980
Picture

Los Angeles (EUA)


Os Jogos Olímpicos em 1984 também sofreram boicote. Desta vez, a maioria dos integrantes do bloco comunista repetiu o gesto feito ao revés na edição anterior pelos EUA e outros países de regime capitalista. No torneio masculino, a equipe brasileira chegou impulsionada pelo vice-campeonato mundial (perdeu para os soviéticos), em 1982, pelo processo de profissionalização implantado no país e pela incrível popularidade de seus atletas. O time comandado por Bebeto de Freitas foi a Los Angeles com o pensamento voltado para a conquista da medalha de ouro. Com o boicote, teve o caminho facilitado. Superou a Itália na semifinal e chegou à final da competição. Mas na grande decisão foi superado pelos donos da casa por 3x0. Apesar da frustração, o time, que ficou conhecido como a “Geração de Prata”, colocou o voleibol no trilho do desenvolvimento e em um lugar cativo no imaginário do torcedor brasileiro.

Classificação final
Ouro – EUA
Prata – Brasil
Bronze – Itália

Campanha do Brasil
1ª rodada – 29.07.1984 – descanso
2ª rodada – 31.07.1984
BRASIL 3x1 Argentina (15/8, 15/8, 16/18 e 15/13)
3ª rodada – 02.08.1984
BRASIL 3x0 Tunísia (15/5, 15/9 e 15/2)
4ª rodada – 04.08.1984
BRASIL 1x3 Coreia do Sul (4/15, 13/15, 15/13 e 8/15)
5ª rodada – 06.08.1984
BRASIL 3x0 Estados Unidos (15/10, 15/11 e 15/2)
Semifinal – 08.08.1984
BRASIL 3x1 Itália (12/15, 15/2, 15/3 e 15/5)
Final – 11.08.1984
BRASIL 0x3 Estados Unidos (6/15, 6/15 e 7/15)

1984
Picture

Seul (COR)

Os Jogos Olímpicos retornaram à Ásia 24 anos depois e o voleibol já estava consolidado. Depois da medalha do Brasil em Los Angeles, a modalidade se desenvolveu no país e a expectativa para o torneio olímpico em Seul era alta. A equipe masculina chegou com parte dos remanescentes da “Geração de Prata”, como Renan, Montanaro e Domingos Maracanã mais rodados, e William com a experiência de três Olimpíadas. A medalha acabou não vindo, com o Brasil sendo derrotado pela Argentina na disputa do bronze. Na grande final, o confronto foi entre as duas maiores potências mundiais, não só no esporte, mas na economia: EUA x União Soviética. Melhor para os norte-americanos, que se sagraram bicampeões.

Classificação final
Ouro – EUA
Prata – URSS
Bronze – Argentina
Brasil – 4º lugar

Campanha do Brasil
1ª rodada – 17.09.1988
BRASIL 3x0 Itália (15/7, 15/4 e 17/15)
2ª rodada – 19.09.1988
BRASIL 2x3 Coreia do Sul (17/19, 8/15, 15/6, 15/11 e 12/15)
3ª rodada – 22.09.1988
BRASIL 3x1 Bulgária (13/15, 15/6, 15/12 e 15/12)
4ª rodada – 24.09.1988
BRASIL 3x1 Suécia (15/6, 13/15, 15/0 e 15/12)
5ª rodada – 26.09.1988
BRASIL 3x2 União Soviética (12/15, 9/15, 15/8, 15/11 e 15/6)
Semifinal – 30.09.1988
BRASIL 0x3 Estados Unidos (3/15, 5/15 e 11/15)
Disputa de bronze – 02.10.1988
BRASIL 2x3 Argentina (10/15, 17/15, 8/15, 15/12 e 9/15)

1988
Picture

Barcelona (ESP)


Os Jogos de Barcelona aconteceram pouco tempo depois do colapso do regime comunista. A União Soviética havia sido dissolvida recentemente e a forma encontrada para os países resultantes do esfacelamento da URSS foi a criação da Comunidade dos Estados Independentes (CEI) pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Outra façanha marcante da edição espanhola, principalmente para os brasileiros, foi o título inédito da seleção masculina de vôlei. Comandados pelo jovem técnico José Roberto Guimarães, o Brasil contava com Amauri, presente na conquista da prata em 1984, e com remanescentes da campanha em Seul: Maurício, Pampa, Carlão e Paulão; mesclados com jovens talentosos e promissores como Giovane, Tande e Marcelo Negrão. A medalha de ouro após o ponto de saque de Negrão na final contra a Holanda foi outro divisor de águas na história da modalidade no Brasil. O bronze ficou com os EUA, enquanto a poderosa Itália, favorita ao topo do pódio, terminou apenas na quinta posição.

Classificação final
Ouro – Brasil
Prata – Holanda
Bronze – EUA

Campanha do Brasil
1ª rodada – 26.07.1992
BRASIL 3x0 Coreia do Sul (15/13, 16/14 e 15/7)
2ª rodada – 28.07.1992
BRASIL 3x1 Comunidade dos Estados Independentes (CEI) (15/6, 15/7, 9/15 e 16/14)
3ª rodada – 30.07.1992
BRASIL 3x0 Holanda (15/11, 15/9 e 15/4)
4ª rodada – 01.08.1992
BRASIL 3x1 Cuba (15/6, 15/8, 12/15 e 15/8)
5ª rodada – 03.08.1992
BRASIL 3x0 Argélia (15/8, 15/13 e 15/9)
Quartas de final – 05.08.1992
BRASIL 3x0 Japão (15/12, 15/5 e 15/12)
Semifinal – 07.08.1992
BRASIL 3x1 Estados Unidos (12/15, 15/8, 15/9 e 15/12)
Final – 09.08.1992
BRASIL 3x0 Holanda (15/12, 15/8 e 15/5)

1992
Picture

Atlanta (EUA)


Depois do ouro em Barcelona, a seleção masculina do Brasil conquistou a Liga Mundial pela primeira vez em 1993, e chegou a Atlanta entre os favoritos. No grupo ainda comandado por José Roberto Guimarães estava a metade dos jogadores do título na edição anterior, todos os titulares da final contra a Holanda. A novidade ficou por conta da estreia de Nalbert. Completavam a lista Pinha, Gilsão, Max, Cassio Schwanke. A seleção começou a competição com duas derrotas (3x1 para a Argentina e 3x0 para a Bulgária), mas se recuperou e avançou em segundo para as quartas. No tiebreak acabou eliminado pela a Iugoslávia e terminou na quinta posição, enquanto os iugoslavos chegaram ao bronze. A Holanda, também com a base do ciclo anterior, voltou ao pódio, desta vez com o ouro, vencendo a Itália na decisão.

Classificação final
Ouro – Holanda
Prata – Itália
Bronze – Iugoslávia
Brasil – 5º lugar

Campanha do Brasil
1ª rodada – 21.07.1996
BRASIL 1x3 Argentina (15/9, 8/15, 14/16 e 6/15)
2ª rodada – 23.07.1996
BRASIL 0x3 Bulgária (11/15, 13/15 e 8/15)
3ª rodada – 25.07.1996
BRASIL 3x0 Polônia (15/7, 15/11 e 15/8)
4ª rodada - 27.07.1996
BRASIL 3x0 Estados Unidos (15/11, 15/11 e 15/7)
5ª rodada – 29.07.1996
BRASIL 3x0 Cuba (15/11, 15/10 e 15/11)
Quartas de final – 31.07.1996
BRASIL 2x3 Iugoslávia (6/15, 5/15, 15/8, 16/14 e 10/15)
Disputa de 5º a 8º - 01.08.1996
BRASIL 3x1 Argentina (15/10, 15/3, 13/15 e 15/9)
Disputa de 5º lugar – 02.08.1996
BRASIL 3x0 Cuba (15/12, 16/14 e 16/14)

1996
Picture

Sydney (AUS)


Os Jogos de Sydney foram os primeiros do voleibol como conhecemos hoje. Nesta edição, as recentes regras de marcação de pontos (sem vantagens e com sets de 25 pontos) e a implementação do líbero já estavam em vigor há quase dois anos. A seleção masculina, agora sob o comando de Radamés Lattari, atual Diretor de Competições de Quadra da CBV, chegou com um mescla de atletas campeões olímpicos como Tande, Giovane, Maurício e Douglas, e jovens jogadores que davam os primeiros passos na longa jornada que fariam com a camisa verde e amarela como Dante, André Heller, Gustavo e Giba. Uma campanha perfeita na primeira fase, com cinco vitórias em cinco jogos, deixava o time como grande favorito ao ouro, mas faltou combinar com a Argentina. Os rivais sul-americanos estragaram os planos dos brasileiros e venceram nas quartas de final por 3x1. O Brasil acabou em sexto lugar. Os campeões foram os iugoslavos, que tinham os irmãos Nikola e Vladmir Grbic, Slobodan Kovac, Ivan Miljkovic, Goran Vujevic, entre outros. A prata ficou com a Rússia e o bronze com a Itália.

Classificação final
Ouro – Iugoslávia
Prata – Rússia
Bronze – Itália
Mais Brasil – 6º lugar

Campanha do Brasil
1ª rodada – 17.09.2000
BRASIL 3x0 Austrália (25/13, 25/14 e 25/21)
2ª rodada – 19.09.2000
BRASIL 3x0 Egito (30/28, 25/18 e 25/21)
3ª rodada – 21.09.2000
BRASIL 3x0 Holanda (25/20, 25/17 e 27/25)
4ª rodada – 23.09.2000
BRASIL 3x1 Espanha (25/27, 25/14, 25/21 e 25/20)
5ª rodada – 25.09.2000
BRASIL 3x0 Cuba (28/26, 30/28 e 25/18)
Quartas de final – 27.09.2000
BRASIL 1x3 Argentina (25/17, 21/25, 19/25 e 25/27)
Disputa de 5º a 8º - 28.09.2000
BRASIL 3x2 Cuba (23/25, 17/25, 25/21, 26/24 e 15/11)
Disputa de 5º lugar – 29.09.2000
BRASIL 0x3 Holanda (21/25, 20/25 e 22/25)

2000
Picture

Atenas (GRE)


Os primeiros Jogos Olímpicos do século XXI foram na terra onde tudo começou: Atenas. O voleibol brasileiro foi à Grécia com uma “inversão” nos treinadores: Bernardinho, com duas medalhas de bronze com as mulheres, assumiu o time masculino em 2001, e o técnico campeão em Barcelona com os homens, José Roberto Guimarães, passou a comandar o feminino em 2003. A mudança deu logo resultado com o Brasil campeão da Liga Mundial em 2001, 2003 e 2004 e campeão mundial masculino pela primeira vez em 2002. No feminino, as brasileiras também estavam sempre no pódio e foram campeãs do Grand Prix em 2004. Com estes resultados recentes os brasileiros estavam entre os mais cotados. A seleção masculina correspondeu à expectativa da torcida e, com boa atuação ao longo do torneio, perdendo apenas um jogo na fase classificatória, conquistou o segundo ouro ao bater a Itália por 3x1 na final. A Rússia levou o bronze.

Classificação final
Ouro – Brasil
Prata –Itália
Bronze – Rússia

Campanha do Brasil
1ª rodada – 15.08.2004
BRASIL 3x1 Austrália (23/25, 25/19, 25/12 e 25/21)
2ª rodada – 17.08.2004
BRASIL 3x2 Itália (25/21, 15/25, 25/16, 21/25 e 33/31)
3ª rodada – 19.08.2004
BRASIL 3x1 Holanda (25/22, 24/26, 25/21 e 25/19)
4ª rodada – 21.08.2004
BRASIL 3x0 Rússia (25/19, 25/13 e 25/23)
5ª rodada – 23.08.2004
BRASIL 1x3 Estados Unidos (22/25, 23/25, 25/18 e 22/25)
Quartas de final – 25.08.2004
BRASIL 3x0 Polônia (25/22, 27/25 e 25/18)
Semifinal – 27.08.2004
BRASIL 3x0 Estados Unidos (25/16, 25/17 e 25/23)
Final – 29.08.2004
BRASIL 3x1 Itália (25/15, 24/26, 25/20 e 25/22)

2004
Picture

Pequim (CHN)


Com o status de bicampeão mundial (2002 e 2006) e medalha de ouro em Atenas, a seleção masculina do Brasil era o time a ser batido no torneio de voleibol olímpico em Pequim. O time de Bernardinho não contava mais com Ricardinho, uma das peças-chave da vitória na edição anterior, mas ainda tinha muita força e experiência com oito campeões olímpicos no grupo. Os brasileiros terminaram em primeiro na fase de qualificação, com apenas uma derrota para a Rússia, passaram por China, nas quartas, e Itália, na semifinal. A seleção brasileira até começou bem na final contra os EUA, abrindo 1x0, mas levou a virada e ficou com a prata. O bronze novamente foi para os russos.

Classificação final
Ouro – EUA
Prata –Brasil
Bronze – Rússia

Campanha do Brasil
1ª rodada – 10.08.2008
BRASIL 3x0 Egito (25/19, 25/15 e 25/18)
2ª rodada – 12.08.2008
BRASIL 3x1 Sérvia (25/27, 25/20, 25/17 e 25/21)
3ª rodada – 14.08.2008
BRASIL 1x3 Rússia (25/22, 24/26, 29/31 e 19/25)
4ª rodada – 16.08.2008
BRASIL 3x0 Polônia (30/28, 25/19 e 25/19)
5ª rodada – 18.08.2008
BRASIL 3x0 Alemanha (25/22, 25/21 e 25/23)
Quartas de final – 20.08.2008
BRASIL 3x0 China (25/17, 25/15 e 25/16)
Semifinal – 22.08.2008
BRASIL 3x1 Itália (19/25, 25/18, 25/21 e 25/22)
Final – 24.08.2008
BRASIL 1x3 Estados Unidos (25/20, 22/25, 21/25 e 23/25)

2008
Picture

Londres (GBR)


A mais recente edição dos Jogos também trouxe medalhas no voleibol para o Brasil em ambos os naipes, mas não sem lágrimas e muita adrenalina. No torneio masculino, a seleção brasileira era formada pelos veteranos da conquista em Atenas, como Ricardinho, Rodrigão, Giba, Serginho e Dante, mesclados com jogadores emergentes que estiveram no tricampeonato mundial em 2010, como Vissotto, Lucão e Sidão. Na fase preliminar, o time brasileiro venceu quatro e perdeu uma, para os EUA. Passou pela Argentina nas quartas de final e da Itália na semifinal. Na grande decisão, o Brasil abriu 2x0 e chegou a ter o match point no terceiro set, mas o técnico russo, Vladmir Alekno, resolveu fazer uma mudança tática inesperada e colocou o central Dmitriy Muserskiy, de 2,18m, na posição de oposto, e conseguiu uma das viradas mais espetaculares da história do voleibol, conquistando o ouro no tiebreak. A Itália conseguiu o bronze.

Classificação final
Ouro – Rússia
Prata – Brasil
Bronze – Itália

Campanha do Brasil
1ª rodada – 29.07.2012
BRASIL 3x0 Tunísia (25/17, 25/21 e 25/18)
2ª rodada – 31.07.2012
BRASIL 3x0 Rússia (25/21, 25/23 e 25/21)
3ª rodada – 02.08.2012
BRASIL 1x3 Estados Unidos (25/23, 25/27, 19/25 e 17/25)
4ª rodada – 04.08.2012
BRASIL 3x2 Sérvia (22/25, 25/15, 20/25, 25/22 e 15/9)
5ª rodada – 06.08.2012
BRASIL 3x0 Alemanha (25/23, 25/22 e 25/19)
Quartas de final – 08.08.2012
BRASIL 3x0 Argentina (25/19, 25/17 e 25/20)
Semifinal – 10.08.2012
BRASIL 3x0 Itália (25/22, 25/12 e 25/21)
Final – 12.08.2012
BRASIL 2x3 Rússia (25/19, 25/20, 27/29, 22/25 e 9/15)

2012